terça-feira, agosto 08, 2017

É caso para ir à bruxa?


Ao longo das últimas semanas muito se falou de bruxos. Como se costuma dizer, não acredito em bruxas, pero que las hay, las hay. Não faz parte deste espaço falar de bruxas, bruxos, bruxedos e maus olhados. Aqui falamos de futebol, mas efetivamente a malapata da enfermaria da Luz começa a atingir níveis surreais.

Depois de uma temporada em que, apesar do tetra, Rui Vitória teve de gerir mais de 40 lesões no seu plantel, com muitos poucos a passarem incólumes, ao invés de outros que somaram 2, 3 ou mais lesões diferentes, a tendência parece não querer mudar. À primeira convocatória para a Liga NOS 2017/2018, o treinador dos encarnados tem já seis indisponíveis, a que se pode juntar um sétimo, o croata Krovinovic, que está na fase final da recuperação de uma cirurgia. É quase um quarto do plantel atual!

É uma área sobre a qual é difícil tirar grandes conclusões, até porque muitas das lesões são traumáticas e difíceis de evitar. Porém, olhando para a realidade do Benfica face aos seus dois principais rivais, mais uma vez o número de lesões é infinitamente superior. Porto e Sporting têm praticamente todos os seus jogadores aptos para a primeira jornada (no caso dos leões tiveram, dado que já jogou o seu primeiro jogo) ao contrário das águias com todas as baixas já referidas.

Tendência crónica de muitos jogadores para as lesões? Poderá ser. Júlio César está constantemente de baixa, Zivkovic repete a segunda pré-época limitado e quase sem utilização, Horta continua a somar lesões em catadupa, Grimaldo não ultrapassa os recorrentes problemas musculares, isto só para citar alguns dos atuais lesionados. A estes podemos juntar Fejsa, que parece por vezes feito de cristal, Salvio, com tendência para lesões gravíssimas, ou até Jardel ou Jonas, que têm sofrido na última época, talvez fruto da idade continuar a avançar, problemas físicos bastante frequentes.

Ainda que a equipa apresente lacunas que precisam de ser respondidas até 31 de agosto, começa a parecer que, mais uma vez, a grande preocupação de Rui Vitória será a saúde dos seus jogadores. Não será certamente fácil para um treinador passar todas as semanas sem saber com que jogadores poderá contar nem em que condições estarão esses jogadores semana após semana, dado que, como na época passada, a questão ultrapassa muitas vezes o ter os jogadores aptos, pois as constantes paragens retiram a forma aos atletas prejudicando o seu rendimento mesmo quando aptos para jogarem.

O Benfica já fez algumas alterações no seu departamento médico mas as lesões continuam. Talvez o melhor seja mesmo ir à bruxa...